09/01/2018 - 16:19
Mexicano pesquisa sustentabilidade em trabalho de campo no Unilasalle-RJ

“Só erra quem produz”, dizia Ocatavio Paz (1914-1998), “Mas, só produz quem não tem medo de errar. As massas humanas mais perigosas são aquelas em cujas veias foi injetado o veneno do medo. Do medo da mudança”. Medo do novo é o que Álvaro Salgado Caldiño não tem, como se escutasse as palavras do ganhador do prêmio Nobel de Literatura do seu país. No fim de 2017, o estudante da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM) viajou para o Sul do continente americano em busca de importantes dados para o seu trabalho final no curso de Administração. O destino era o Brasil, ou, mais especificamente, o Unilasalle-RJ.

O discente, de 22 anos, passou três meses em território nacional por conta de sua pesquisa acerca da sustentabilidade, sendo orientado pela professora Aleksandra Sliwowska Bartsch e pelo próprio reitor, Irmão Jardelino Menegat, ambos com trabalhos na mesma temática. Essa, no entanto, não foi a primeira viagem em prol da formação. Anteriormente, Caldiño havia cursado dois semestres no exterior, o primeiro em Óregon, nos Estados Unidos, para se familiarizar com a língua inglesa, e outro na Colômbia, diante de um acordo entre a Universidade Livre daquele país e a UNAM.

“Busquei a oportunidade de vir agora para o Unilasalle-RJ por múltiplos fatores, primeiro porque para mim sempre foi um sonho conhecer o Brasil e, sobretudo, o Rio de Janeiro, mas definitivamente o motivo mais forte foi a reputação que a La Salle possui no México”, conta o aluno, “É uma das universidades mais reconhecidas e com prestígio da comunidade universitária a nível nacional”.

As expectativas não se mostraram frustradas. Durante o tempo em terras brasileiras, foram muitos as idas e vindas por salas de aula para pesquisar, em campo, como os calouros e os concluintes do 2º semestre de 2017 assimilavam a sustentabilidade no dia a dia, sendo ela, inclusive, um dos princípios da instituição.

De volta ao México, Álvaro Salgado Caldiño trabalha em cima dos resultados obtidos em Niterói e guarda boas lembranças de onde esteve. “Percebi neste tempo que a base no humanismo é um grande diferencial do Unilasalle-RJ. Do empregado da limpeza ao reitor, todos procuram o melhor para o centro universitário. As salas, laboratórios, banheiros, áreas verdes, cafeteria e estacionamento não perdem em nada para a universidade dos Estados Unidos, por exemplo”, conclui.

Por Luiza Gould

Ascom Unilasalle-RJ



Confira a galeria de fotos e vídeos
Voltar