05/02/2018 - 12:34
Unilasalle e Google: parceria de peso para ensino ainda mais diferenciado

“O Unilasalle-RJ mostra que se preocupa com os seus professores e alunos, a partir do desejo de transformar o ambiente da sala de aula, saindo do modelo do século XIX”. É assim que Rodrigo Vale, gerente de programas do Google for Education no Brasil, classifica o passo dado pelo Centro Universitário La Salle do Rio de Janeiro no ano de 2018. Em fevereiro, docentes e colaboradores começam a ser treinados para fornecer aos alunos, os diversos benefícios da plataforma desenvolvida pelo gigante da tecnologia, agora parceiro do Unilasalle-RJ.

A novidade se tornou oficial em novembro de 2017, com a assinatura do convênio por Menegat, o diretor do Colégio La Salle Abel, Marcelo Piantkoski, e o representante do Google for Education na ocasião, Tony dos Santos. Surgia ali o embrião para espaços e dinâmicas visando uma integração ainda maior entre docente e discente. “Nós estamos sendo pioneiros na região ao adotar o que, certamente, vai revolucionar a educação nos próximos anos. A plataforma nos impulsiona, nos desafia, nos compromete, nos habilita com as novas tecnologias que já são realidade na área educacional”, avalia o reitor, “Com ela, o aluno se torna ainda mais protagonista do processo educativo e o professor consegue dinamizar, envolver, comprometer os alunos no ensino-aprendizagem”.

 

Assinatura do convênio em 13 de novembro de 2017

O caminho do protagonismo já havia sido iniciado com a implementação das Atividades Integradoras no último ano, que segue dando frutos. Agora, no entanto, outras possibilidades estarão disponíveis ao graduando, como criar o seu próprio produto ou materializar uma ideia na Sala Conexão Makerspace, produzir conteúdo multimídia na Sala Conexões Múltiplas, e trocar ideias com membros de outras instituições da rede/palestrantes na Sala Conexão Mundo. Veja aqui como vai ser cada espaço, nos projetos arquitetônicos de Paula Brasil. 

Na opinião do vice-reitor e pró-reitor Acadêmico, os ambientes são “privilegiados para a realização de atividades de ensino, na graduação, mas também na pós, pesquisa e extensão universitária”. Como lembra Ronaldo Curi Gismondi, os lassalistas vão se habilitar em vistas a “dominar a heurística do trabalho em Cloud, o uso de aplicativos baseados em web, e a integração plena entre diferentes tipos de softwares e aplicativos”.

O papel do docente

A inovação, porém, não abole o ensino convencional, apesar de impactá-lo, como frisa Maria Inês Vasconcellos, coordenadora do curso de Engenharia de Produção: “Não há substituição de aulas presenciais, mas sim uma complementação. Certamente nosso aluno estará muito mais envolvido e amparado, pois terá também uma ‘sala de aula’ – criada e administrada pelo seu próprio professor – disponível a qualquer momento e em qualquer dispositivo”.

Menegat fala sobre a parceria a coordenadores de curso e de setor, dia 23 de novembro de 2017

A possibilidade a que ela se refere é o Google Sala de Aula, a partir do qual o professor otimiza seu tempo, podendo elaborar, compartilhar e corrigir tarefas, dar feedback em tempo real, acompanhar de forma mais organizada o progresso de cada discente. “O docente precisa pensar ainda mais na formação de profissionais com bastante autonomia em termos de busca do conhecimento. Nos tempos atuais, com o advento da internet, essa autonomia aumenta exponencialmente”, conclui Márcia Sadok, coordenadora de Sistemas de Informação.

Rodrigo Valeassina embaixo, ao afirmar que a plataforma foi criada para que o professor passe “menos tempo operando e mais tempo ensinando”. Confira na entrevista concedida por ele ao nosso site.

Unilasalle-RJ: De que forma a parceria iniciada colabora com o processo de ensino-aprendizagem?

R.V.: A adoção do Google for Education ajuda no engajamento entre professor e aluno, tornando o ambiente da sala de aula mais alinhado com o dia a dia do estudante, e permitindo que metodologias ativas sejam implementadas pela instituição de forma mais simplificada.

 

Unilasalle-RJ: Quais benefícios os alunos do ensino superior passam a usufruir?

R.V.: Os benefícios são muitos. Do ponto de vista técnico, sem dúvida o espaço ilimitado no Google Drive é um grande benefício para o aluno poder armazenar todo o seu conteúdo pedagógico, desde simples apresentações até vídeo-aulas. Do ponto de vista pedagógico, os alunos serão estimulados a trabalhar de forma mais colaborativa (aluno/aluno e aluno/professor) com o uso das plataformas Google Sala de Aula e Google Drive. Os discentes terão acesso ao conteúdo pedagógico de forma mais fácil, uma vez que o mesmo se encontra na nuvem e acessível através de qualquer dispositivo. De uma forma geral, o processo de uso de tecnologia dentro da sala de aula será mais simples e não uma dor de cabeça - nosso desejo é chegar em um ponto onde ele é transparente.

 

Unilasalle-RJ: Como o Google avalia a decisão do centro universitário em investir nesta ideia? Quais são as expectativas em relação à nossa instituição?

R.V: Mostra a preocupação do Unilasalle-RJ com os seus professores e alunos e o desejo de transformar o ambiente da sala de aula, saindo do modelo do século XIX. Não é o uso de tecnologia que faz isso. Há muitas universidades que têm tecnologias incríveis, mas infelizmente elas não modificam a dinâmica da sala de aula. Deixam, de fato, tudo mais bonito, mas a dinâmica é a mesma: professor expondo a sua aula e alunos copiando o conteúdo. O Unilasalle-RJ deseja alterar isso, não só adotando a tecnologia do Google, mas uma filosofia de mudança.

 

Unilasalle-RJ: A instituição sempre privilegiou o olhar para o futuro, mas com lições valiosas aprendidas no passado, dentre elas a formação humanística. O que o Google pensa sobre este binômio tecnologia/humanidade?

R.V: A tecnologia na educação não faz sentido sem o fator humano. Nosso foco sempre foi desenvolver uma plataforma que pudesse facilitar a operação do dia a dia do professor, que permitisse a ele passar mais tempo interagindo com o aluno, fortalecendo seus laços. Nosso lema é: “menos tempo operando, mais tempo ensinando”.

Rodrigo Vale (em primeiro plano) 

 

Unilasalle-RJ: Fale um pouco sobre a abrangência do Google for Education a nível mundial.

R.V: Mais de 80 milhões de professores e alunos utilizam a plataforma G Suite for Education no mundo todo. Destes, 30 milhões usam o Google Sala de Aula. Isso torna a plataforma uma das maiores do mundo. Além disso, o Chromebook como dispositivo de educação é líder nos EUA, com 60% do mercado, além de Suécia e Canadá.

 

Unilasalle-RJ: E no Brasil? De que forma o projeto foi pensado especificamente para a nossa realidade, o nosso mercado?

R.V: No Brasil não é diferente, na verdade o projeto tem uma sinergia ainda maior, em especial com o ensino superior. O GSuite for Education junto com os Chromebooks trazem uma dinâmica diferente para dentro da sala, onde o aluno passa em média 80% do seu tempo. Essa dinâmica deixa o dia a dia mais alinhado com as expectativas do aluno.

Unilasalle-RJ: Quais retornos em relação à plataforma vocês recebem de professores e alunos?

R.V: De todos os tipos, e adoramos! Do ponto de vista tecnológico, recebemos elogios e críticas construtivas. Sempre falamos que o Google Sala de Aula não foi criado pelo Google e sim pelos professores, que enviaram feedback para nós de como melhorar o produto. Não somos uma plataforma perfeita e precisamos escutar sempre o usuário para melhorarmos ainda mais. Acho que é este posicionamento que faz com que a ferramenta seja reconhecida como alinhada com as necessidades dos professores e alunos. Tivemos casos em que professores da terceira idade usaram pela primeira vez tecnologia dentro da sala de aula. Outro professor comentou que a sua comunicação com os alunos melhorou, pois os mesmos se sentiam mais confortáveis em compartilhar suas ideias online. Mas, o feedback mais importante que eu recebi de vários professores foi: nós estamos ganhando tempo com o uso do Google for Education (GSuite + Chromebooks). Isso significa que o professor tem mais tempo para se dedicar ao seu desenvolvimento profissional, sua família e alunos.

 

Unilasalle-RJ: Que relação pode ser feita entre Google for Education e mercado de trabalho?

R.V: As principais habilidades que os principais CEOs do mundo procuram em seus funcionários são: resolver problemas desconhecidos, saber trabalhar em equipe e se comunicar. Nossas tecnologias são centradas em estimular essas habilidades. Então, podemos dizer que há uma enorme relação entre Google for Education e a necessidade do mercado de trabalho.

 

*Rodrigo Vale atualmente é Head de Google for Education para Universidades do Brasil, cujo foco é deixar a sala de aula mais alinhada com o dia a dia do aluno. Trabalha no Google desde 2005, liderando várias áreas como, por exemplo, Web Analytics e desenvolvimento do ecossistema da Internet na América Latina. Sócio da Akwan S/A, empresa vendida ao Google em 2005. Mestrado pela UFMG, com ênfase em Recuperação da Informação na Web e com pós-graduação em administração de empresas pela Fundação Dom Cabral.

Por Luiza Gould

Ascom Unilasalle-RJ



Confira a galeria de fotos e vídeos
Voltar